6.2.06

Eu sei que devia, mas não consigo

“Pô, fessora, por que não pode escrever chato na redação? Por que é que você escreveu aborrecido? Não é a mesma coisa? Que troço mais careta!”
Pois é, eu sou assim em relação à nossa língua—essa belíssima, riquíssima e expressiva Língua Portuguesa—bem careta, caretona, caretíssima! E o que é pior, não consigo fazer de conta que não sou. Fazer o quê? Afinal, sou literalmente do século passado.
Eu sei que devia incorporar a linguagem livre, criativa, rápida e moderna de nossos jovens_ e de alguns já não tão jovens assim_ mas, infelizmente para mim, não consigo.
Eu sei que devia dizer “que porra é essa, cara?”, mas não dá, e só pergunto: “o que é que está acontecendo aqui? Ou “o que foi que você fez?, ou disse?”. Assim, bem pouco criativa, bem careta.
Eu sei que devia perguntar “esta merda é tua?”, mas não posso e, caretona, sai a pergunta “isto é teu?, ou te pertence?" Desse jeito estranho.
Eu sei que devia avisar “nenhum filho da puta mete a mão aqui, falô?”, mas fico travada e, então, caretíssima, só sou capaz de dizer “por favor, ninguém mexa aqui”. Bem assim, reprimida, oprimida.
Eu sei que devia achar que o “passeio foi bom pra caralho”, mas não sai e, lamentavelmente, digo que foi fantástico, excelente, maravilhoso, uma delícia. Assim mesmo, antiquada, fora de moda, velha, sem a menor criatividade.
Finalmente, eu sei que devia saber que “se neguinho não sacar a porra desta paradinha aqui, vai dar uma merda do caralho e eu vou me fuder”, mas nem tento e assim, “caso este texto não seja bem compreendido, podem advir conseqüências adversas e eu posso ser severamente criticada ou sofrer sérias represálias” o que, convenhamos, será o máximo da caretice em tempos tão avançados e livres.
Rosa Maria Ferrão

3 comentários:

marlinhus disse...

porra fessora..mto foda esse bagulho aki de blog hein ?!



hehehehe
Brincadeira professora...
Ficou muito legal mesmo...e é ótimo pra manter contato..agora que fui obrigado a sair da Gama pelos meus PAIS REPRESSORES...hahaha
Infelizmente agora estou no CE Luiz de Camoes... o pessoal é legal..mas nada como ficar com os amigos né ?!
Bom soube que você estava morando na Bahia...sabia da sua vontade...mas não sabia que tinha sido realizada...
Poza "fessora"espero que corra tudo bem com a senhora, sua coluna e seus pais...e que essa nova vida tão longe seja proveitosa e muito agradável...

Por agora deixo estimas de felicidade e o sincero sentimento de saudade!
Gosto muito de ti...
Um beijão...e obrigado pelos ensinamentos já transferidos!
Você e suas lições estarão sempre no meu coração!!!


marlusnewton@hotmail.com !!! deico meu e-mail pois desejo uma resposta, pelo menos um: "Eu li!" ...hehehe
Bjããão

Oph DeWaal disse...

Seguindo a linha muderna:
e aí minha tia, foi 3kilo mexê na parada ou foi perrengue? A propósito, texto irado.

bjs.

nel disse...

Belo texto sobre essa "tal" modernidade da língua.
Beijos, Nelmara