1.7.09

Olhando o mundo por minha janela


Soberbo é o mundo visto da janela do meu canto. É um mundo de sonho, cheio de encantamento e de paz. Um mundo onde a natureza é bela e repousante. Um mundo de verdade e fantasia. Um mundo que existe e não há.
O sol é ouro, a chuva é prata. O barro vermelho é sangue que pulsa em vida e paixão. O vento é carícia que despenteia o cabelo e refresca o corpo suado da lida diária.
Há luares, muitos, múltiplos, plenos. A luz suave que romantiza a noite, que ilumina sem escaldar. Que não ofusca, apenas envolve mansamente a escuridão. O sol alegra e aquece. A lua faz sonhar melancolicamente.
Há água em profusão: doce, salgada, mansa e em ebulição. Corre pelo solo, cai em catadupas, se espraia pelos campos, cai das nuvens, revolve-se em ondas e tinge o planeta de azul. Quase todo...Espanta-me não sermos peixes.
Eu olho o mundo. O mundo me olha. Apaixonados pela beleza nossos olhos se encontram e brilham em estrelas e luar, em sonho e realidade, em amor pela vida que se quer boa, limpa e desesperadamente linda.

2 comentários:

Sandra disse...

Rosa, adorei o seu blog. Ainda bem que você voltou a escrever nele.
Continue.

Bjs.
Sandra Kremer.

Daniel Zandonadi (or someone else) disse...

Adorei! Tão... Alberto Caeiro!!

Beeeijos ;^***